Eu já chorei por ti, mas hoje não

Hoje eu decidi ficar bem e decidi que não é só por hoje.
Eu decidi que todos os dias seguintes vão ser hoje também.
Hoje eu não vou mais beber nem um gole de você e da sua ausência.
Hoje eu vou rasgar todas as fotos e jogar todas as recordações fora.
Hoje eu vou seguir em frente.

Eu vou cuidar de mim da forma que eu cuidei de ti.
Eu mereço zelar por mim como uma jóia que se acaso cair no chão, quebra.

E de fato já quebrei. Inúmeras vezes.
Caí, me estilhacei. Juntei caco por caco.
Mas aprendi que isso não basta; é preciso prevenir a queda. Evitar machucar mais uma vez o coração.

É que eu já chorei demais.
Eu já me importei demais.
Eu já te exaltei demais.
Eu já me valorizei de menos.

Demorei a entender que suas mensagens não fariam mais parte do meu dia. Que ao chegar em casa ninguém me receberia com abraços, pronto para ouvir os acontecimentos mais recentes e compartilhar dos seus feitos inovadores, como só você fazia, fosse uma nova técnica no trabalho, ou um belo gol no futebol.
Demorei a enxergar que estaria no carro, cantando agora sozinha, sem sua voz horrível a gargalhar meus tímpanos, ou irritá-los, como de costume.
Demorei a entender que não seria dona dos seus abraços mais calorosos, e do amor mais gostoso.
Demorei a aceitar que eu não era mais sua e você nunca realmente foi meu.

Agora sua boca encostará em outra boca.
As suas mãos acariciarão outros corpos.
O seu eu te amo encantará outros ouvidos.

Eu não estava preparada para te dizer Adeus.
Esperava ardentemente que mudasse de idéia.
Esperava que tua saudade consumisse teu peito.
Esperava que o ciúmes te impulsionasse a correr atrás.
Esperava que despertasse e pensasse em mim como parte integrante do teu ser.
Esperava…
E esperava…
Até que cansei de esperar.

Você não voltou.
Não ligou.
Não apareceu em meio à madrugada jogando pedras na janela, jurando seu amor eterno enquanto eu dormia.
Parei de sonhar e acordei. Decidi que hoje não mais.

Transformarei as lágrimas em riso.
Transformarei amarras em asas.
Transformarei o vazio da saudade em uma nova morada.
Transformarei presente em passado.

A partir de hoje meu amor não mais te atormentará, ou lhe dará a triste satisfação de ser amado mais do que ama.
A partir de hoje você não mais me afetará, nem guiará os meus dias, nem tomará minhas noites.
A partir de hoje serei mais o que devia ter sido para mim e menos do que deveria ser para qualquer um.
Já me quebrei muito por você.

Mas hoje?
Hoje me ergo inteira.
Hoje eu não quebro mais.

Texto feito em colaboração pelas duas escritoras do MissLimão (Camille Coutinho e Daniele Denez).

Sobre o Autor

Daniele Denez

Catarinense, uma boa escorpiana, ama momentos, música, histórias e boas risadas. Você sabe o seu nome, mas nem imagina sua história, você lê suas palavras, mas é impossível saber o peso que elas têm para ela.

All original content on these pages is fingerprinted and certified by Digiprove