Eu Te Perdôo

Eu te perdôo por cada história inventada para me conquistar, para esconder teu verdadeiro caráter, fazendo eu me apaixonar por alguém que sequer existia.

Eu te perdôo por todas as noites que passei chorando sem notícias tuas, enquanto você desligava o celular e não dava satisfação alguma, fazendo-me perder meu sono, minhas forças e meu amor próprio.

Eu te perdôo por nunca me olhar quando me arrumava para ti, por não ser capaz de palavras bonitas para me elogiar, minando pouco a pouco minha auto-estima.

Eu te perdôo por não estar ao meu lado nas horas difíceis, por não poder cuidar de mim enquanto doente ou mesmo carente, fazendo-me sentir completamente abandonada.

Eu te perdôo por todo tom de voz elevado quando se dirigia a minha pessoa, pelos gritos impacientes quando eu não lhe agradava e pela falta de sensibilidade em lidar com minhas necessidades, trazendo a mim uma sensação de inutilidade.

Eu te perdôo por todas as suas traições, por cada mulher que colocou no meio de nós, destruindo-me por completo, fazendo-me passar como trouxa perante família e amigos.

Eu te perdôo por cada foda mal dada, quando tudo o que te importava era seu próprio prazer, fazendo-me sentir nula e rejeitada.

Eu te perdôo por todas as vezes que me julgou como burra, subestimando minha inteligência, fazendo-me duvidar da minha própria capacidade.

Eu te perdôo por toda a dor que me causou, física e emocional, com teu desdém, agressividade e maus tratos, fazendo de mim uma mulher submissa.

Eu te perdôo por todas as vezes que me feriu com palavras, deixando-me cair humilhada, rastejando no chão, sem coragem de levantar por medo de que me jogasse de volta.

Eu te perdôo por toda mentira contada, mesmo em momentos de alegria, manipulando a minha vida e admiração.

Eu te perdôo por todas as promessas quebradas, ferindo minha fé, fazendo-me desacreditar na dignidade humana.

Eu te perdôo por toda a falsa esperança que sempre me entregava, abusando da minha ingenuidade e vontade de amar, em busca do rapaz que outrora eu conheci. Fazendo-me chegar ao limite de minha sanidade.

Eu te perdôo porque só te perdoando sou capaz de perdoar a mim mesma, por todo o mal que me fiz depositando em tuas mãos meu coração. O qual nunca deveria ter saído de dentro do peito. Você me fez refém com o meu próprio aval, e eu preciso ser perdoada por tamanha falha.

Eu te perdôo e te liberto de toda a culpa que possa vir a sentir. Por que só assim, estarei livre para amar outra vez.

Sobre o Autor

Mia Coutinho

Publicitária por formação, aeromoça por opção e escritora por paixão. Virginiana, perfeccionista, mãe do Henri. Entre fraldas e mamadeiras, entre pousos e decolagens, entre artes e artimanhas, ela escreve. Escreve porque para ela, escrever é como respirar: indispensável à vida!

All original content on these pages is fingerprinted and certified by Digiprove