Fiz Besteira, Quem Nunca?

Na verdade a merda já estava feita. Cagaram no meu quintal e eu fiz o favor de espalhá-la. Fiz errado. Claro. Ninguém precisa contribuir para o cheiro ruim. Mas Incitaram discórdia. E cega de raiva fiz uma explosão de bosta para tudo quanto é lado. Igualei-me ao nível de quem me insultava. E esse foi meu pior erro.

Deixamos nossa vida dar uma guinada total por causa de vingança. Oh, palavra feia, viu!? Abri meu coração para mágoas e rancores e me deixei tomar por sentimentos ruins. Precisava disso? Óbvio que não. Fui fraca. Vingança é uma fraqueza. Perdemos a razão muito rápido e percebemos no fim que não vale à pena.

Às vezes é necessário baixar a cabeça para as covardias da vida e evitar mais dor. Percebo hoje que conviver com a dor que me causaram antes teria sido bem melhor do que a dor física e psicológico que me habita agora. Não sou uma boa vingadora, confesso. E não cheguei a lugar nenhum. Me fodi. Apanhei. Literalmente. E como continuar lutando sozinha contra o mundo se o meu mundo desmoronou?

Aprendi uma grande lição. Violência gera violência. Já dizia a famosa frase. Às vezes é necessário engolir o orgulho e dar a outra face. Tem pessoas que fazem questão de compartilhar o mal dentro de si. Seja por ódio, inveja, falta de amor ou simplesmente ignorância. E não devemos fazer parte disso. É preciso erguer a cabeça, seguir em frente e tampar os ouvidos para qualquer conversa inventada. É revoltante, eu sei, o sangue ferve. A língua coça, o punho fecha. Mas não devemos ser intolerantes a ponto de gerar mais confusão. Aprendi isso da maneira mais difícil.

Mas a gente sempre levanta, tem que levantar.  Mas não devemos desejar vingança. Não somos ninguém para trazer justiça a esse mundo. Só peço a Deus para que me guie no caminho certo e dê muito amor a quem precisa.  Não devemos cultivar o ódio dentro da gente. A gente atrai o que dá. Doce lição ensinada em uma hora amarga. Não se deve fugir de luta alguma, mas é preciso reconhecer a hora de bater em retirada e retomar de um outro ponto. Com razão e sobriedade.

Isso serve para todo mundo, nas mais diversas situações, inclusive você amiga que faz merda o tempo todo. Que liga para o carinha que não está nem ai para você durante a madrugada cheia de tequila na cabeça. Que Já ficou com o amigo do boy só porque queria se vingar e piorou tudo. Que já até curtiu foto da atual do ex que estava stalkeando sem querer e foi fazer fofoca querendo terminar o namoro de alguém.
Todo mundo já fez merda. A vida é feita de merda. Só assim a gente aprende. Ou tenta aprender alguma coisa. Todo mundo também já quis se vingar e passou horas e horas criando planos mirabolantes que só não colocou em ação por medo, ou receio de ser pega. Que bom que você foi medrosa amiga, porque você podia se ferrar gostoso. E não é um gostoso libertador. Mas a gente aprende, embora passada a ressaca moral tenha quem faça tudo de novo! Não julgo, só puxo a orelha e preparo o ouvido das lamentações.

Todo mundo se fode de vez em quando, mas tem gente que se fode de vez em sempre. É preciso evoluir em cima das cagadas da vida. Então vamos aprender de primeira, como bons alunos, mantendo a paz dentro do peito, o punho aberto nas mãos e não deixando a tequila subir a cabeça.

Sobre o Autor

Mia Coutinho

Publicitária por formação, aeromoça por opção e escritora por paixão. Virginiana, perfeccionista, mãe do Henri. Entre fraldas e mamadeiras, entre pousos e decolagens, entre artes e artimanhas, ela escreve. Escreve porque para ela, escrever é como respirar: indispensável à vida!

All original content on these pages is fingerprinted and certified by Digiprove