Uni duni tê: eu escolho você

“Eu não escolho quem amar, só amo.”

Já parou pra pensar que você se contradiz o tempo inteiro? Enquanto você jura que o ama pelas “qualidades” dele, você não enxerga que isso é uma escolha tola que você faz inconscientemente. É que quanto mais ele te ilude, mais você se apaixona e no fundo você sabe que tudo o que ele diz não passa de lorota, é que parece tão real quando ele diz que te ama né? Mas se ele amasse ele apenas ficaria mesmo sem nenhum motivo, o amor já é um grande pretexto. Você o escolhe todos os dias quando diz “não” a uma possível paixão. E por mais que você diga “eu tento”, você tenta com os errados. E tentar uma semana não é tentar.

Sabe aquele match no Tinder que você ignorou porque ele não tinha um papo que você achava tão interessante? E aquele menino que te levou para um barzinho, mas você achou que ele tinha pouca “pegada”? Tem aquele da sua faculdade também que pediu seu número e você passou o errado porque achou o estilo dele meio brega. E teve aquele que te levou pro cinema, mas você pulou fora logo em seguida porque ele não pagou sua bebida. No fundo você sabe que procura mil e um motivos pra acreditar que eles não são bons pra você, quando na verdade eles poderiam – se você desse algum tipo de chance.

Você diz que o perfume é forte demais e te dá dor de cabeça, que a conversa é fraca, que o beijo não encaixa, que o cabelo dele é estranho e que as roupas dele parecem de 1960. São desculpas esfarrapadas que você cria pra dizer “eu gosto de gostar dele, eu quero continuar gostando dele, por mais que eu sofra”. E você sofre. Você se ilude em todas as conversas que ele promete que vai passar na sua casa, mas nunca passa; “a moto quebrou”, “minha mãe passou mal”, “tive que estudar” – as desculpas dele são piores que as suas.

Mas quer saber? Uma hora você vai sentir falta que alguém mande uma mensagem “ei, to aqui embaixo, pode descer?”. Ou de alguém que finalmente compareça na festa de aniversário da sua mãe. Você vai sentir falta de alguém que lembre do seu aniversário e ainda te mande um mimo – mesmo que esse mimo seja uma barrinha de chocolate. Pode ser que você sinta falta do “eu te amo” vazio, mas vai sentir mais falta ainda das atitudes que comprovam que há amor por você naquele coração. A ficha vai cair que você está escolhendo, sim, a dedo a pessoa perfeita pra te fazer sofrer quando você pode escolher a pessoa certa pra te fazer bem. Uma hora você vai enxergar que ele não ficou te esperando – na verdade nunca esteve –, vai ver que a vida dele segue muito bem sem você, obrigada.

Então tira esse tapa olho do rosto e enxerga o quanto as pessoas possuem qualidades maravilhosas além do que você está enxergando. Arruma essa bagunça que ele fez e começa a enxergar que a única que está ficando pra trás é você. Os dias vão passando e você fica vidrada nesse jogo viciante que ele criou com você. Deleta, rasga, joga fora e ainda queima tudo que for atraso na tua vida. Avisa teu dedo tão seleto que se ele não começar a te obedecer, logo ele vai ficar aposentado. E se quer mais uma dica e a última: conheça as pessoas pelo que elas são e não somente pelo que elas te oferecem porque às vezes quem te oferece milhões não tem as boas intenções de quem te oferece pouco.

Sobre o Autor

Daniele Denez

Catarinense, uma boa escorpiana, ama momentos, música, histórias e boas risadas. Você sabe o seu nome, mas nem imagina sua história, você lê suas palavras, mas é impossível saber o peso que elas têm para ela.

All original content on these pages is fingerprinted and certified by Digiprove